Mary Lyrio


marydauto@yahoo.com.br
marydtlyrio@gmail.com

BREVE HISTÓRIA DO BATOM E SUA COMPOSIÇÃO

17/11/2015 15:21

Os termos “batom” da língua portuguesa (derivado do francês bâton) e “lipstick” da língua inglesa destacam a forma ou a consistência do objeto representado, ao associá-lo a um bastão,vara ou pau.

Por sua vez, a expressão francesa “rouge à lèvres” não destaca a forma do objeto representado. Tal expressão, parece enfatizar a função do que é representado (corar ou colorir os lábios) ou talvez a noção da derivação deste objeto de um outro (do rouge como maquiagem para as bochechas).

O ato de colorir os lábios é algo feito pelas mulheres há milhares de anos. No século XIX, termos como “lip rouge”, “tinted lip balm”, “tinted lip salve” e “rouge à lèvres” eram usados para representar os produtos utilizados para dar cor aos lábios.

O século XIX coincide, em parte, com a chamada era Vitoriana, marcada pela existência de muita censura moral ao uso da maquiagem pelas mulheres.

Nesse mesmo século, a França era a principal produtora de cosméticos. Muitas farmácias e perfumarias francesas produziam e vendiam produtos para colorir os lábios, mas havia muita discrição por parte das empresas e das consumidoras. Talvez como reflexo desse estigma negativo da maquiagem, produtos classificados como medicinais, mas que coloriam levemente os lábios, faziam muito sucesso. Muitas empresas francesas começaram a lançar diferentes tipos de produtos “en bâton”, e isto era uma novidade no mercado.

 Entre esses produtos havia “rouge à lèvres en bâton” ou “stick lip-rouge”. Como exemplo, o Ne m’oubliez pas da Guerlain (1870).

Não por outra razão, muitos dicionários apotam o surgimento da palavra “lip stick” por volta de 1880. Outro dado interessante, é que a palavra portuguesa “batom”, como acima mencionado, apesar de possuir um sentido semelhante à palavra inglesa “lipstick”, tem o seu radical derivado da palavra francesa “bâton”, indício muito forte não só da influência dos cosméticos franceses na época, mas do impacto dessa forma de apresentação do produto.

Ao contrário dos americanos que foram substituindo a expressão “lip rouge” por “lipstick”, como novo sinônimo de produto para pintura labial, os franceses mantiveram o uso do termo “rouge à lèvres”, acredito que em razão da longa tradição francesa no uso de produtos para colorir os lábios, o que os levou a perceber o batom apenas como mais uma nova forma ou consistência do rouge para os lábios.

O que aconteceu com os franceses, pode ser comparado ao fato mais atual de que as empresas continuam chamando de “lipstick” ou “batom” novos produtos para os lábios que não guardam na forma ou na consistência qualquer similitude com um “bastão”. Como exemplos o batom líquido e o batom creme.

 

COMPONENTES DOS BATONS

Os batons se diferem em sua composição. E os componentes mais encontrados são:

- VITAMINAS A e E – nutrem os lábios e ajudam a neutralizar os radicais prejudiciais, retardando o envelhecimento e contribuindo no processo de renovação celular. As vitaminas também têm efeito calmante e hidratante.

- ÓLEOS NATURAIS - nutrem a mucosa labial, protegendo-a do ressecamento e da descamação.

- CERA – são responsáveis pela durabilidade do produto.

- SILICONE - cria uma película invisível sobre os lábios, protegendo contra os efeitos adversos, fazendo com que a cor dure mais tempo.

- PIGMENTOS E CORANTES - são responsáveis pela cor.

- SPF- FILTRO SOLAR - protege a mucosa labial contra a radiação ultravioleta.

- FRAGRANCIA - substância aromatizante que minimiza o cheiro dos vários ingredientes utilizados.

 

TEXTOS RELACIONADOS: