Mary Lyrio


marydauto@yahoo.com.br
marydtlyrio@gmail.com

VINTAGE MAKEUP SÉCULO XX - PARTE II, ANOS 40, 50 e 60

12/08/2015 16:13

                        RECRIANDO AS DÉCADAS           

                                                        DE 40, 50 E 60

 

DÉCADA DE 40

A década de 40 foi marcada pela Segunda Guerra Mundial.

Como a maior parte dos homens foi para a guerra, houve escassez de mão de obra para ocupar os postos de trabalho nas fábricas e estaleiros navais.  Não demorou muito para o governo perceber que as mulheres eram a única maneira de produzir equipamento e material necessário para manter o esforço de guerra. Foi a primeira vez que as mulheres de classe média alta iriam trabalhar fora de suas casas, já que as mulheres pobres sempre trabalharam. Algumas mulheres ficaram encantadas ao entrar na força de trabalho, pois viam este fato como a primeira chance de conseguir sua independência econômica.

 

Mesmo tendo que assumir empregos tradicionalmente masculinos, elas não queriam ter aparência masculina e a maquiagem lhes permitiu representar esse novo poder, mantendo-se femininas.

O direito de ser bela foi muito propagado pelas empresas de cosméticos e usado como ferramenta para promover o patriotismo e encorajar as mulheres a se tornarem mais ativas no esforço de guerra.

Conhecidas estrelas de Hollywood da época como: Ava Gardner, Ingrid Bergman, Gene Tierney, Joan Fontaine, Lana Turner, Rita Hayworth e Carmem Miranda, inspiraram muitas mulheres.

Ava Gardner                                                         Carmem Miranda    

    Ingrid Bergman                                               Joan Fontaine   

    Lana Turner                                      Rita Hayworth     

Como muitas mulheres estavam trabalhando pela primeira vez em fábricas e estaleiros, as agências governamentais começaram a filmar vídeos de treinamento para os homens aprenderem como trabalhar com as mulheres, e vídeos para as mulheres aprenderem a se manter seguras no trabalho.

Um desses vídeos de treinamento foi feito pela atriz Veronica Lake, como pode ser visto nesta foto, retirada da publicação da Life Magazine de 08 de março de 1943.

Rosie, o rebitador

É um ícone cultural dos Estados Unidos, representando as mulheres americanas que trabalharam nas fábricas e estaleiros navais durante a Segunda Guerra Mundial.

O termo "Rosie o rebitador" foi usado pela primeira vez em 1942, em uma canção do mesmo nome escrito por Redd Evans e John Jacob Loeb. Gravada por vários artistas e que se tornou um hit nacional

“ (...) Todo o dia sol e da chuva

Ela é uma parte da linha de montagem

Ela está fazendo história,

trabalhando para a vitória

Rosie o rebitador

Mantém um vigia afiada para sabotagem

Sentado lá em cima na fuselagem

Aquela pequena frágil pode fazer mais do que um

masculino vai fazer

Rosie o rebitador.

Rosie tem um namorado, Charlie

Charlie, ele é um fuzileiro naval

Rosie está protegendo Charlie

Horas extras trabalhando no

máquina de rebitagem

Quando lhe deram uma produção "E"

Ela estava tão orgulhoso como uma menina poderia ser

Há algo de verdadeiro sobre

Vermelho, branco, e azul sobre

Rosie o rebitador (...)"

Ouça a versão original clicando no link:  www.youtube.com/watch?v=55NCElsbjeQ

 
 

Pin-up

Outro termo muito utilizado nessa época. As pin-up eram, em sua maioria, modelos e atrizes que pousavam com roupas mais sensuais mostrando de forma sutil a lingerie. Tais fotos apareciam frequentemente em pôster estilo calendário (em inglês, pôster = pin-up). Betty Grable, atriz e dançarina, foi uma das mais populares dentre as primeiras “pin-ups”. Um de seus pôsters tornou-se onipresente nos armários dos soldados norte-americanos durante a Segunda Guerra Mundial.

Betty Grable

 

Em alguns países, principalmente na Europa, os cosméticos começaram a ter sua produção limitada devido ao racionamento de guerra.

Além disso, em virtude da escassez de matéria-prima, os preços dos cosméticos estavam muito elevados. Para algumas  mulheres, restava usar a criatividade e produzir maquiagem caseira. Pasta de sapato era usada como máscara para os cílios e sobrancelhas; suco de beterraba era usado nos lábios e nas bochechas; e pétalas de rosas embebidas no álcool também eram usadas nas bochechas.

No inicio dos anos 40, a produção de cosméticos nos EUA foi congelada por alguns meses. Mas o clamor das mulheres foi tão grande que os cosméticos foram classificados como importantes para a guerra, assim como o tabaco era importante para os homens.

Durante os anos de guerra, as grandes marcas de cosméticos continuaram com a produção, mesmo que reduzida em alguns países. Quando alguns deles tiveram de suspender a produção durante o pior período da Guerra, eles ainda continuaram a anunciar os produtos.

Várias grandes marcas de cosméticos como Estée Lauder (1946), Wella (1946), e Parfums Christian Dior (1947) foram fundadas durante os anos quarenta,

Outro item bastante utilizado pelas mulheres que também ficou em falta foram as meias de nylon, pois o material era necessário para fazer itens como pára-quedas militares e redes. Por isso, as mulheres começaram a pintar em suas pernas o desenho das costuras das meias para dar a ilusão que as estavam usando.

           

Surgiram as liquid silk stockings – meias de seda líquida.

 

Loja de departamento anuciando meia liquida

 

Em Paris. durante os anos de guerra, as casas de moda como Chanel e outras fecharam suas portas pela escassez de matéria-prima.

Com o início da guerra e um racionamento rigoroso de tecido, os vestidos na década de 40 tornaram-se mais curtos, sendo um pouco abaixo do joelho. Deu-se início ao estilo minimalista militar. Surgiram as ombreiras, que deixavam os ombros quadrados. Mangas eram muitas vezes inchadas, com um pouco de pregas na parte superior, e se estendiam até um pouco abaixo do cotovelo. O decote da década de 40 veio em uma variedade de recortes. Eles poderiam ser quadrados, buraco da fechadura, franzido, ou em forma de V.

 

Chapéus gradualmente começaram a desaparecer, sendo substituídos por lenços.

A moda nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial se caracteriza pelo ressurgimento da alta costura após a austeridade dos anos de guerra. Ombros quadrados e saias curtas foram substituídas pela feminilidade suave de Christian Dior com o “New Look silhueta", com suas saias mais longas, cinturas bem apertadas e ombros arredondados.

New look Dior

O penteado roll victory foi muito popular na década de 40.  O nome refere-se a um movimento em espiral descendente que o avião abatido fazia.

Penteado roll victory

 

LANÇAMENTOS

1941 – Elizabeth Arden lança batom Montezuma red, batom vermelho da vitória

- Dorothy Gray – lança red lipstick.

- Tangee lança Lipistick Red-Red – batom vermelho-vermelho.

- Du Barry lança linha Emblema red – Batom e rouge vermelho.

- Max Factor lança Lipistick color fort, batom vermelho.

1942 – Max Factor – lança coleção Tru-color lipistick.

1943 – Maybelline lança linha para olkos com o slogan "If you use your lipistick, you must also use maybelline".  –  Composto por máscara sólida nas cores preta, marrom e azul;, máscara em creme nas cores preta e marrom; sombre nas cores azul, verde e violeta e lápis de olho preto e marro.

1945 - Helena Rubinstein’s – lança makeup guide brunette and blondes – guia de maquiagem morenas e loiras.

 

1946 - Helena Rubinstein lança Heavenly Glow makeup –maquiagem brilho celestial e Pan stick – base em forma de bastão.

- Yardley lança Inglês Complexion Cream, coposto de  Creme de Noite, creme Limpeza de Pele Creme e creme à base de leite,em embalagens novas.

1947 – Bourjois lança Rouge Rosette Brune e Rouge Coral.

- Elizabeth Arden lança Elizabeth Arden Pat-A-Kake – base compactada cremosa.

- Helena Rubinstein lança Makeup-stick, base cremosa em bastão.

CARACTERÍSTICAS DA MAQUIAGEM

Lábios  - são a parte de maior destaque dos anos 40. Batom foi pensado para manter as mulheres com alta estima durante a guerra.  Vermelho era cor símbolo do patriotismo. A forma de aplicar valorizava o contorno natural dos lábios, sendo ligeiramente mais volumoso na parte superior, lembrando os lábios carnudos da década anterior. A cor mais popular foi o vermelho, incluindo os vermelhos claros brilhantes, vermelhos cereja, vermelhos rosados ​​e vermelhos alaranjados.

Base - foi do tom da pele ou um tom mais escuro.

Pó facial - foi usado coincidindo com a cor da pele para ajudar fixar a base ou para dar um brilho rosado.

Rouge  - foi aplicado no centro das maças e puxado em direção às têmporas.

Sobrancelhas - foram cuidadosamente limpas, arcos bem definidos e acentuados pelo uso de um lápis marrom escuro. A prática de arrancar as sobrancelhas tão em voga na década passada perdeu força.

Sombras - era aplicada em toda pálpebra móvel e fixa e as cores eram: lilás rosa, cinzas e marrom.

Cílios - só existia a maáscara em pasta ou em creme e ele foi aplicada marcaano bem os cílios

Lápis de olho - era aplicado no contorno dos cílios inferiores e tinha na cor preta e marrom.

 

DÉCADA DE 50

A década de 50 foi uma época de crescimento e prosperidade. O fim do racionamento abriu o caminho para novos produtos. E os consumidores tinham mais dinheiro para gastar.

O rock-in-roll ocupou o centro dos palcos, e grandes nomes como Fats Domino, Little Richard e Elvis Presley rapidamente chegaram à fama. 

Transmissões de televisão tinham retornado no Reino Unido após a suspensão total durante a Segunda Guerra Mundial. No início dos anos 50 a maior parte do país já possuía sinal de TV, graças ao esforço do pós-guerra e a transmissão da coroação da rainha Elizabeth em 1953, 

Nos EUA, milhões de família já possuíam um aparelho de TV. No Brasil, estavam surgindo os primeiros aparelhos nas famílias mais ricas.

Nesta época a televisão ainda era em preto e branco, mas no cinema já tinha filmes em cores.

Rapidamente, assistir TV tornou-se um passatempo popular para todas as famílias e as variedades de shows trouxeram novas idéias e influência para as massas.

Estrelas de cinema como, Grace Kelly, Marilyn Monroe, Doris Day, Brigitte Bardot, Sophia Loren, Elizabeth Taylor, Audrey Hepburn, Gina Lollombrigida e Natalie Wood. que fez o famoso filme Juventude transviada em 1955, causavam grande influência nas mulheres

 

  Audrey Hepburn                                                Marilyn Monroe   

   Doris Day                                                                Natalie Wood

  Gina Lollombrigida                                                       Elizabeth Taylor  

    Grace Kelly                                                     Brigitte Bardot   

     SOPHIA LOREN

 

A moda dos penteados entre homens e mulheres foi influenciada pelos artistas de Hollywood e artistas da musica da época. Elvis Presley e James Dean foram os grandes responsáveis pelo estilo topete alto masculino. Outra variação deste estilo foi o “cut duck butt” ou corte bumbum de pato, que tinha sido desenvolvido no final da década de 40 pelo Hairstylists Joe Cerello

Elvis, topete alto                                                      James Dean

 

                       CORTE BUMBUM DE PATO

Na década de 50, existiram vários modelos de penteados para as mulheres. O tamanho variou do curto ao médio. Um dos grandes Hairstylists da época foi o Francês Alexandre, conhecido em Hollywood como Alexandre de Paris. Ele criou o penteado alcachofra usado por Grace Kelly e Elizabeth Taiyor., que era o cabelo na altura do queixo e com cachos fofos. Outro estilo, muito usado foi o “corte de elfo" ou corte italiano, que era o cabelo bem curto e cacheado, muito usado pela atriz italiana Gina Lollombrígida. Em meados da década, o estilo muito usado foi o “corte pixie” que era um corte estilo moleca muito usado pela atriz Audrey Hepburn. Para as senhoras com um pouco mais de idade o estilo mais usado foi o corte franja curta, popularizado pela 1ª Dama dos EUA, Mamie Eisenhower. E já no final da década, Alexandre de Paris criou o corte colméia, que teve seu auge na década seguinte e foi muito usado por Brigitti Bardot. (lembranças de Amy Winehouse)

Para as adolescentes a moda era o rabo de cavalo alto, amarrado com lenços ou fita de cetim.

Penteado rabo de cavalo Brigitte Bardot 

Penteado alcachofra, Elizabeth Taylor

Corte elfo, Gina lollobrigida

Corte pixie. Audrey Hepburn

Corte franja curta, Mamie Eisenhower

O vestuários das mulheres na década de 50 variou muito, do "New Look", cunhado por Christian Dior, no final da década de 40 aos vestidos rodados com bainha na altura da panturrilha e cintos marcando a cintura. O tecido era liso, estampado de poá ou florais. Decotes com ornamentos também entrou em voga.

As empresas de cosméticos começaram a perceber este novo público e novos produtos foram fabricados, como cremes para tratamentos de acnes e limpeza de pele. E a maquiagem também se tornou mais acessível.

Os editores de revistas também perceberam esse publico e lançaram publicações especializadas neste segmento. 

Essa foi a época em que as mulheres foram mais cobradas para se manterem lindas e impecáveis, tanto em casa fazendo seus afazeres, como fora de casa. 

A década de 50 foi a era de ouro dos produtos de maquiagem. Novos produtos surgiram com uma paleta de cores bem mais diversificada que as décadas anteriores.

Max Factor Jr, ainda era líder de mercado, mas novas marcas surgiram como Westmore, Revlon, Yardley e Coty.

O mercado de cosméticos de luxo liderado pelas adversárias ferozes Helena Rubinstein e Elizabeth Arden cresceu muito    

Em 1950 as bases passaram a ter consistência mais leve e menos densa. Começaram a surgir as bases liquidas. 

Um dos produtos mais lançados por várias empresas nesta época foi o batom e as cores rosa e vermelho eram as mais populares.

 

LANÇAMENTOS 1950.

1950 - Helena Rubinstein lança Silken Lipistick – batom com pó de seda 

- Max Factor lança a linha de impeza facial para mulheres.

 - Revlon - lança Touch-and-Glow liquid makeup - base liquida de brilho dourado em 7 tonalidades

 - Família Westmore Hollywood lança linha de maquiagem, composta por 3 produtos,

1951 - Ester Lauder lança uma coleção limitada de batom e creme rouge denominada MadMen = Homens Loucos.

  

 -  Max Factor lança: Signature toiletry for men, a linha de produtos de higiene masculina,

-  Revlon lança Indelible-Creme Lipstick,  batom cremoso permanente, na cor vermelha.

1952 - Max Factor lança Color Fast lipstick- batom rápida cor, em várias tonalidades. 

- Família Westmore lança makeup liquid (base liquida) e batom

1953 - Max Factor lança: o Creme Puff - primeira base e pó em um só produto em 7 tonalidades e Invisible Foundation –base invisível líquida. 

 - Helena Rubinstein lança o STAY-LONG - com o slogan de batom de maior duração do mundo. 

1954 - Max Factor  lança o Erace -primeiro corretivo comercial em 4 cores (Medium, Deep Natural, Tan and Deep Tan) .

 - Família Westmore Hollywood lança Close-up perfection - complexion beauty, pele perfeita, composto por liquid makeup (base liquida), creme powder makeup ( base e pó) e batom.

 - Coty lança - Coty Air Spun powder – fino pó solto que promete esconder pequenas linhas e manchas. 

1955 – Max Factor lança HI FU makeup, maquiagem liquida para a noite em tons fidedignos ao tom da pele. Era tipo uma base liquida. E HI Fi lipstick em duas tonalidades, o vermelho moda  e o rosa moda.  

- Elizabeth Arden lança o Lipstick in Pure Red shade – batom vermelho puro. 

        

- Yardley lança refil batom,  pó compacto e pó finalizador

- Eylury lança estojo com um par de cílios postiços e uma cola.

1956 - Helena Rubinstein lança waterproof lipstick - batom à prova d'água.

 1957 -  Coty lança o batom24hs

- Max Factor e Helena Rubinstein lançam a máscara de cílios em tubo e com escova nas cores marrom e preto. 

=- Elizabeth Ardem lança as coleções batom, rouge e esmalte Pink Violet e Arden Pink

1959 – Max Factor lança a coleção Batom Hi society

 

CARACTERÍSTICAS DA MAQUIAGEM

Lábios – batom estava em alta e foram lançados vários modelos em cores intensas. O batom era aplicado seguindo o contorno dos lábios.  As cores mais usada era o vermelho e o rosa. 

Lápis labial - era usado para definir o contorno dos lábios e, quando os mesmos não possuíam o contorno simétrico, esta correção era feita com o lápis.

Base - A mulher dos anos 50 tinha a opção de usar base e / ou pó facial.

Tons mais claros e naturais estavam disponíveis. A consistência era líquida, creme ou compacta.

Corretivo – Pela primeira vez as mulheres estavam usando corretivo, que antes era uma maquiagem cinematográfica, para corrigir manchas e imperfeições. Era em forma de bastão com a consistência um pouco densa. Normalmente era aplicado antes da base e/ou do pó. 

Rouge – A forma de aplicar normalmente era das maçãs puxando em direção as têmporas. A cor mais popular era o rosa claro.

Contorno -  As mulheres, com formatos de rosto mais arredondados começaram a fazer o contorno facial com o rouge, aplicando-o na linha abaixo do osso malar e nas têmporas. 

Sombras - As mulheres começaram a combinar a sombra com a cor do vestido e a paleta de sombras ganhou vários tons pastel.  A sombra era aplicada em toda pálpebra móvel, puxando levemente no canto externo para à pálpebra fixa.

À noite as sombras eram mais cintilantes.

Máscara de cílios – Surgiram máscaras com novas tecnologias e a forma de aplicar estava mais fácil. 

Cílios - eram bem definidos.

Sobrancelhas – no início da década, as sobrancelhas eram escuras e fortes, com lápis sendo usado para preencher e definir a forma. A espessura variava de media a grossa, mas ainda em forma de arco.

 

DÉCADA DE 60

A década de 60, assim como as décadas de 10 e 40, foi marcada por vários eventos que se tornaram históricos.

Em 1961, a ex União Soviética fez o primeiro lançamento de uma nave espacial tripulada. Em 1962, o Brasil é bicampeão da copa do mundo de futebol no Chile, e claro que isto foi muito relevante !!! Em 1963, o presidente John Kennedy dos EUA é assassinado. Em 1968, ocorre à revolta dos estudantes em Paris, com o slogan: “Est interdit d'interdire”. E, em 1969. o primeiro homem pousou na Lua.

   REVOLTA DOS ESTUDANTES DE 68

No contexto de tais eventos diversos, mas igualmente importantes, a “Geração baby boom” (nome dado aos bebês nascidos na Grã Bretanha, França e EUA em 1946) agora jovens, começam a influenciar a cultura e a moda da década.

A voz dos jovens é claramente perceptível nas letras da banda britânica "The Beatles".

Nesta época, dois movimentos de jovens tinham grande influência no comportamento das pessoas: Os Mods que se iniciou em 1960 na Grã-Bretanha e se espalhou, em diferentes graus, para outros países; e os Hippies que se iniciou nos EUA, em meados dos anos 60, e se espalha pelo mundo.

Na década de 60, a Europa, principalmente Londres e Paris retoma o seu papel de centro irradiador da moda e comportamento, que nas últimas décadas estava sendo protagonizado por Hollywood.

Contudo, as atrizes Brigitte Bardot, Sophia Loren e Elizabeth Taylor, que estreou nesta década o filme Cleópatra, influenciavam muito a moda e comportamento.

Brigitte Bardot                      sophia loren        

 A ex-atriz Gracy Kelly, nesta época já Princesa de Mônaco, também influenciou a moda e comportamento da época.

As publicações especializadas da época, também influenciavam muito na moda e na maquiagem.

A moda feminina viu nascer as mini saias e os vestidos retos e curtos.

Foram vários os penteados na década de 60. Como o estilo colméia do inicio da década, muito usado pela atriz Brigitti Bardot, e o estilo muito curto popularizado por Twiggy (primeira grande top model do mundo) e pela atriz Mia Farr. O chapéu pillbox era moda, e muito usado por Jacqueline Kennedy.

  

  Brigitti Bardot                                                          Twiggy   

Chapéu pillbox Jacqueline Kennedy

A moda Mods masculina incorporou uma dose de sofisticação, que incluía ternos feitos sob medida com lapelas estreitas, gravatas finas, botão de deslocamento de colarinho, camisas de lã ou caxemira.

Muitos mods do sexo feminino incorporaram um estilo andrógeno, com cortes de cabelo curtos, calças ou camisas masculinas, sapatos baixos e pouca maquiagem.

 A moda das roupas Hippy ganhou força depois do verão de 67, denominado “verão do amor". O estilo caracterizava saias longas, batas soltas com estampas esotéricas ou bordados,  jeans boca de sino, tops soltos de malha, colares e pulseiras com motivos nativos americanos e africanos. Sandália foi o calçado de preferência de homens e mulheres. Cabelo solto longo foi o mais usado.

Assim como na década anterior, as empresa de cosméticos continuavam a crescer.

Max Factor tinha estado na vanguarda da inovação da maquiagem por várias décadas e continuou liderando nessa época, com seus produtos tornando-se muito populares.

Maybelline, Revlon, Elizabeth Arden, Helena Rubinstein, Ester Lauder e Yardley também foram marcas populares.

 

LANÇAMENTOS MAKEUP

1960 - Max Factor lança Sheer Genius  makeup em 10 tons mate. É uma espécie de base cremosa com acabamento fosco, para as mulheres que não queriam brilho.

1961 – Revlon lança a primeira sombra líquida fosca e máscara de cílios com escova.

1962 – Max Factor Jr. lança um kit olho, composto por: sombra cremosa, sombra em pó, sombra liquida, lápis de sobrancelha, máscara de cílios na consistência pastosa e cremosa, e a mascara em tubo com varinha.

1 – sombra cremosa estilo batom em tonalidades pastel, nas cores azul, verde, lilás e prata;

2 – sombra em pó nas mesmas cores da sombra cremosa;

3 – sombra líquida com pincel, nas cores preta, marrom, dourada, prata, verde, lilás e azul;

4 – lápis de olho e de sobrancelha nas cores preta, marrom, verde, castanho claro, azul e cinza;

5 – máscara em cake, pasta bolo nas cores preta e marrom;

6 – máscara em creme nas cores preta e marrom;

7 – máscara em tubo com varinha nas cores preta e marrom

- Revlon – buscando se antecipar ao lançamento do filme Cleópatra, faz uma releitura do estilo vamp, criado por Max Factor no final da década de 10 para a primeira versão do filme. Assim,  lança uma coleção com tema egípcio que incluía: um batom rosa esfinge, um esmalte rosa para combinar com o batom e um trio de sombras com pincel aplicador, denominado olhos esfinge.

 - Maybelline lança kit de cílios postiços.

1963 – Maybelline lança linha de produtos para o olho com o slogan, tudo que você precisa para fazer o olho bonito. Composta por: máscara em tubo com varinha, máscara bolo pasta, máscara creme com escova, delineador e lápis em um só produto, sombra em forma de batom, sombra líquida, lápis de sobrancelha, curvex, escova de sobrancelha e pinça.

1964 – Ester Lauder lança lipstick swiss strawberry – batom morango suiço.

- Max Factor Jr. lança  linha Brave New Pastels, composta por batom, batom retrátil caneta e esmalte de unhas. Disponíveis em tonalidades pastel nas cores rosa, coral e pêssego.

1965 – Max Factor lança sombra three dimensional em tons pastel e delineador preto com pincel.

 1966 – Max factor lança sombras em creme e o ultralucent lfluid makeup - ultra iluminador liquido.

-Yardley lança  Shiny Slicker Lipsticks – batom com brilho, hidratante e protetor solar.

1967 – Yardley lança kit makeup face, composto por base, pó compacto finalizador, trio batom e trio sombra.

- Revlon lança iluminador creme em forma de bastão

- Max Factor Jr, Lança New shiny eye-liner only - delineador líquido preto brilhante com pincel separado.

 1969 - Helena Rubinstein lança máscara para alongar os cílios.

- Max Factor Jr. Lança shiny eye-liner - delineador liquido azul com pincel acoplado.

 

CARACTERÍSTICAS DA MAQUIAGEM

Batom – era aplicado seguindo o contorno natural As cores eram mais suaves como o rosa ou coral.  

Base – era do mesmo tom da pele ou um tom mais claro para dar a aparência bem jovial. A base liquida era a preferida.

Corretivo – as mulheres mais jovens não usavam e as mais maduram usavam antes da base.

 Pó – Usava-se pó finalizador compacto ou solto e preferencialmente na cor rosada.

Blush – era aplicado de uma forma mais suave no centro das maças e puxando para cima em direção às têmporas.

 Iluminadores – eram aplicados para realçar o osso malar das bochechas e nas têmporas. A textura era cremosa em forma de bastão ou liquida. As cores eram o rosa e o bege e as tonalidades variavam do claro ao escuro.

Sobrancelhas – foram bem marcadas com lápis de olho e a espessura variou da média a grossa.

Sombra – o olho foi a grande estrela da maquiagem nesta década. A pálpebra móvel foi coberta por sombra matte, As cores das sombras eram branca, azul verde, prata, cinza  e Lilás. Quem tinha olhos verdes ou azuis usavam sombra da mesma cor do olho.

Delineador – era feito um traço grosso rente à linha dos cílios superiores. As cores mais usadas foram o preto e o azul.

Cílios – a máscara era usada, porém de uma forma leve, para que os cílios ficassem alongados e separados. Os cílios inferiores eram contornados com lápis. Cílios postiços eram muito usados, eram feitos de pêlos naturais de Sables e pêlos sintéticos e alguns tinham strass e glitter.

O estilo olho egípcio de Cleópatra foi muito usado.

 

TEXTOS RELACIONADOS;

 

                                                                                

COMENTÁIOS

Vintage makeup década de 40

Leandra Gutembergue 19/08/2015
Mary, faço teatro e estou estudando a década de 40 e pesquisando sobre a maquiagem, o seu blog é o primeiro que aparece. Estou encantada com este seu texto, ela está muito bem elaborado. Achei muito engraçado a pintura na perna. Muito divertida a música do Rosie, o rebitador. Vou falar com minha amigas sobre o blog.

Vintage Makeup

Caroline Carvelho 19/08/2015
Olá, eu estou pesquisando os produtos de maquiagem lançados na segunda metade do século XX e uma imagem no google me direciona ao seu blog.
Nossa, não fazia ideia que Max Factor fez tanto sucesso no século passado, lamentável que na atualidade não tenha mais produtos. Lendo os comentários aqui no blog percebo que as pessoas que vivera, nessas décadas também consumiam muito produtos da Max Factor e Elizabeth Arden. Eu gostei muitos destes textos da vontage makeup.

Re:Vintage Makeup

Valéria Mota 13/03/2017
Ola caroline ainda existem produtos dele, a marca smashbox é dos netos dele. Tudo é baseado nos conceitos do max.

VINTAGE MAKEUP PARTE II

Camila Xavier 18/08/2015
Oi Mary, pesquisando maquiagem na década de 50 chego ao blog.
Eu sou apaixonada pela maquiagem do século passado e estudo muito sobre o assunto. Contudo, a maioria dos textos que eu já li, ensinam a fazer a maquiagem, mas não explica desta forma detalhada como você fez.
Esse texto está fantástico, você fala não apenas da maquiagem, mas sim de todos os eventos da época.
Li também o texto da primeira parte e fiquei assustada com a quantidade de informações. Gostei também de outros textos, como o do tom e subtom da pele.
Assim que possível voltarei.

maquillaxe Vintage

Amaina 17/08/2015
Ola Mary, un compañeiro faloume deste que escriba.
Estou encantado coa calidade do seu traballo.
Este e o primeiro texto son marabillosos e moi fermosos de ver.
Todo o blog é fantástico. Con textos moi descritos, imaxe visual moi agradable e assntos moi interesantes.